A água nossa de cada dia

O que aconteceria se num belo dia, ao abrir a torneira do chuveiro para tomar banho, não houvesse água? Além da dúvida para saber o que aconteceu, certamente a sua rotina estaria totalmente prejudicada. Imagine por um instante, por mais irreal que possa parecer, os rios secando e as represas em níveis tão baixos, capazes de interromper o fornecimento para todas as regiões em sua volta. Todos recorrendo aos distribuidores de água para comprar o quanto puderem e os apelos ao governo por uma solução urgente. Não apenas por uma questão de higiene, agora por uma questão de sobrevivência, imagine as pessoas gastando suas economias e outras saqueando postos de abastecimento para matar a sede e armazenar o máximo possível, enquanto milhares de pessoas, desorientadas e aflitas procuram soluções e explicações para tamanho caos estabelecido tão inesperadamente.

Sei que é difícil imaginar a possibilidade de viver uma situação parecida, já que nossas torneiras jorram abundantemente quando a abrimos e temos tanta água, que não nos preocupamos com o horário que passamos no chuveiro ou a quantidade desperdiçada na limpeza do nosso belo carro ou do nosso enorme quintal e calçada. A sensação de muitos é que a água é um recurso que nunca esgotará, não importa o quanto a população cresça, nem o quanto aumente o nível de poluição lançada nos rios. A verdade é que não percebemos a agressão que fazemos à natureza, quando utilizamos sem responsabilidade os recursos que ela coloca ao nosso dispor.

É fato que dependemos desse elemento. A Terra é composta de 70% de água, sendo que, aproximadamente 3% desse total é potável. Nosso corpo, por sua vez, é composto de aproximadamente 70% de água e tudo que é vivo à nossa volta, depende de água para subsistir. Existem lugares remotos, onde o período de chuva é muito escasso e até as plantas possuem características naturais para reter o líquido em sua estrutura e raízes profundas para buscar água nas partes mais baixas. Animais dessas regiões também conseguem armazenar em seus organismos maior quantidade de água para conseguir sobreviver ao longo tempo de estiagem.

Com certeza, você já leu ou assistiu reportagens, documentários, comerciais, movimentos, campanhas, entre outros, que ressalta sobre a importância do uso responsável da água, além de leis e ações de proteção ao meio ambiente combatendo agentes poluentes e nocivos. Vivemos numa época de grande instabilidade dos eventos naturais, onde grandes tragédias e fenômenos atingem proporções cada vez maiores, já que nada podemos fazer para impedir esses acontecimentos. Observação: Será que realmente não podemos fazer nada?

Evidentemente, quando os fatos são iminentes, nada pode deter a fúria da natureza, nem fazer a chuva cair nos lugares mais necessários, ou impedir queimadas devastadoras e fatais. Porém, simples ações no dia-a-dia, quando tomadas em escala progressiva pela população, podem fazer uma grande diferença no futuro. Ao invés de ignorar os estudiosos chatos que vivem assustando as pessoas com previsões apocalípticas, devemos ficar atentos aos sinais que a natureza mostra de desgaste e desequilíbrio provocado pelo próprio homem. Amar, respeitar e cuidar da natureza é uma obrigação de quem a utiliza para sobreviver.

Lembre-se que, quando você acordar e abrir a torneira para tomar banho, ou lavar o querido carro, ou o grande quintal e calçada, terá uma grande oportunidade de exercer o ofício de cidadão responsável e utilizar somente o necessário. É apenas uma questão de cuidar e valorizar o que é seu.

Você pode não mudar o mundo, mas pode fazer parte daqueles que ajudam na construção e manutenção de um mundo sustentável.

No Comments Yet

Leave a Reply

Your email address will not be published.

You may use these HTML tags and attributes: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>