Saúde

Andropausa um problema a ser tratado de frente

By  | 

A natureza é impecável. Tudo nasce, tem seu apogeu e seu declínio. Se observamos com atenção, constataremos que tal processo é inerente a vida. E, evidentemente, a raça humana também passa por isso. Se a mulher apresenta isso de maneira muito nítida, principalmente quando inicia seu ciclo menstrual, que marca o início da vida reprodutiva, e que culmina com a menopausa que delimita o fim desse ciclo, o homem também passa por um processo quase que parecido. Se ele não menstrua isso, no entanto, não o livra de passar por uma espécie de menopausa, mais conhecido como andropausa.

Como vivemos ainda em uma sociedade calçada no machismo, obviamente nem tanto, mas ainda prevalece aquela imagem cultural do homem em uma virilidade permanente, imutável. Tal imagem permanece até hoje, a despeito do considerável avanço das mulheres na sociedade, porque pouco se discute sobre esse fenômeno conhecido como andropausa.

No entanto, verifica-se que há uma tendência desse assunto ganhar muita força nos próximos anos, mesmo porque, segundo estudos realizados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 2005, o número de pessoas com mais de 60 anos no Brasil já ultrapassava 18 milhões. Já na década anterior verifica-se um aumento. De 1991 até 2000, já havia crescido 41%. Seguindo esse crescimento, já se prevê que em 2025, o Brasil contará com uma população de até 30 milhões de idosos. Por essas e outras esse assunto reveste-se de grande importância.

A andropausa acomete os homens que ocupa que ocupam a faixa etária dos 50 anos e caracteriza-se pela diminuição do tamanho dos testículos e, em consequência disso, há uma queda na produção de testosterona – hormônio sexual masculino. O que ocorre é que com o avanço da idade, a produção de espermatozoides se reduz em razão de o processo de transformação do colesterol em testosterona não se realizar com eficiência.

Como detectá-la?

Atualmente é muito simples saber quando a andropausa está chegando na vida do homem. Para isso basta se exames de sangue que possibilitam que sejam mensurados os índices de testosterona, espermograma, que permite saber a produção de espermatozoides. Outros exames que complementam essa radiografia são o urológico, a densitometria óssea e a ecografia da próstata e abdome.

Detectada a chegada dessa fase, a pessoa deve buscar seguir um tratamento até para manter uma maturidade e também uma velhice saudável, visto que se não for tratada, pode acarretar uma série de problemas, tais como impotência sexual, ejaculação precoce, perda de memória, câncer na próstata, nervosismo, insônia, queda da libido, perda de cabelo, diminuição da massa muscular, alterações no humor, surgimento de doenças cardiovasculares e a osteoporose. Diante disso, é de fundamental importância que seja feito um tratamento rigoroso que compreende a reposição hormonal que pode ser por via oral, com comprimidos, adesivos para a pele e injeção intramuscular.

Somente essa reposição fará com que a osteoporose seja retardada, o desempenho sexual melhore assim como os distúrbios neurológicos e, em consequência, disso a qualidade de vida. A alimentação também é muito importante nessa fase. Por isso é essencial que se faça uma dieta em que se elimine o colesterol e o açúcar, substituindo-os por alimentos que tenham maior teor de sais e vitaminas, como legumes, verduras e frutas. É fundamental também que não se esqueça das atividades físicas, principalmente os exercícios de baixo impacto, tais como caminhada e natação ou hidroginástica. Outra medida importante é também beber pelo menos dois litros de água por dia.

Alguns estudos ligados a área de psicologia detectaram também que nem todos os homens são afetados da mesma maneira pela chegada da andropausa, mas observou-se que aqueles são mais acometidos, são homens mais emotivos, menos autoconfiantes e seguros de si, ou seja, com baixa autoestima. Em homens desse perfil, a andropausa leva a apatia e até a depressão.

Seria possível acrescentar outro componente nesse perfil psicológico: o machismo. Esse problema talvez contribua para que infelizmente grande parte dos homens não encare esse problema de frente

Kika - Sou blogueira há 10 anos, dedico a vida a produção de conteúdos sobre beleza e cabelos. Amo, amo, o que faço, por isso... com muito amor <3 compartilho dicas no PatricinhaEsperta e CabelosLoiros. Insta: @blogdakika E-mail: [email protected] Lindona, se gostou, clica na estrelinha acima e vote ;-) Compartilhe com suas amigas. Beijos no coração.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!