Saúde

Mau humor associado à fator genético

By  | 

Enquanto os cientistas continuam descobrindo o impacto da natureza na criação, foi revelado que um gene da personalidade pode ser notado assim que um bebê nasce, agindo no humor e na perspectiva de vida das crianças. Um novo estudo analisou cerca de 2.000 crianças(entre 10 e 15 anos) com uma variação do gene que predispõem os níveis baixos de serotonina no cérebro, o que pode tornar o comportamento mais negativo.

As pesquisas sugerem que os jovens eram mais propensos a manterem sentimentos positivos  quando recebiam apoio familiar. As crianças que não receberam suporte familiar mostraram menos sentimentos positivas em três experimentos diferentes, independente do que compunha o estudo. Vale refletir: “Uma erva daninha crescerá em qualquer lugar, mas se você for uma orquídea, provavelmente estará mais reativo e sensível ao seu ambiente”. Se a criança é criada em um ambiente realmente negativo, provavelmente ela não irá crescer para ser uma bela orquídea.

No primeiro experimento, os pais relataram sobre o grau em que eles usaram técnicas de parentalidade positiva ou de apoio, no segundo, seus comportamentos foram observados em laboratório.

No experimento final, as crianças relataram suas próprias percepções da parentalidade, quente positivo. Os participantes carregavam uma versão abreviada do gene 5-HTTLPR, que  está ligado à ansiedade e depressão. Neste caso, os pesquisadores perceberam que o gene agia como líder na direção de uma disposição mais sensível e reativa.

Os resultados foram a primeira evidência empírica de que os indivíduos geneticamente suscetíveis sofreriam de acordo com o ambiente que foram criados. O que foi mais surpreendente é o mesmo resultado foi encontrado em três estudos independentes.

Mesmo assim existe muita controvérsia em torno destes tipos de estudos genéticos, porque há muito tempo os resultados não se replicavam. No entanto, quando algo acontece três vezes em uma linha cronológica, os cientistas começam a levar em consideração. De fato, o novo estudo destaca a importância do ambiente em que a criança será criada, pois o mesmo irá determinar se as crianças se tornarão adultos mais felizes e bem sucedidos.

Na verdade, assim que a criança nasce já podemos notar seu temperamento, algumas acietam as coisas com mais facilidade, outras rejeitam tudo e outras não suportam ficar sozinhas. Todas essas diferenças são naturais, no entanto, se existe uma “tendência” negativa algo deve ser feito para que isso não se torne um traço de personalidade. Os pais devem estar atentos ao comportamento das crianças para uma possível intervenção.

O uso de medicamentos não é recomendado para crianças, somente em casos extremos, o que de fato são extremamente raros. Mudanças na alimentação, atividades físicas e suplementos naturais são suficientes para que o mal humor e o negativismo das crianças termine. Muitos pais tentam fazer seus mais felizes dando tudo o que desejam e evitando descontentá-la, o que pode ter um efeito ainda pior. Os pais devem agir normalmente, com calma e muita paciência, pois os pequenos não tem culpa do humor que apresentam.

Kika - Sou blogueira há 10 anos, dedico a vida a produção de conteúdos sobre beleza e cabelos. Amo, amo, o que faço, por isso... com muito amor <3 compartilho dicas no PatricinhaEsperta e CabelosLoiros. Insta: @blogdakika E-mail: kika@patricinhaesperta.com.br Lindona, se gostou, clica na estrelinha acima e vote ;-) Compartilhe com suas amigas. Beijos no coração.

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

error: Content is protected !!